domingo, 22 de setembro de 2013

VOCÊ QUEM É?

Maria atravessa a estrada de todos os dias
E os carros em fúria que passam
Lhe dão ainda mais vontade de se jogar
Talvez fosse bom, viver alguns segundos
Talvez seja bom esse dia não ser como todos
VOCÊ tem família ou medo Maria?

Vagamente

Entregue foi de corpo e alma
Serva vã de suas reles melancolias
Dos devaneios, o brando desassossego.
Hoje o corpo é sozinho e o espirito vago,
E sua mão vazia a conduz
em sua curta felicidade.

E hoje rindo com muitos, chora só
Não por imposição mais
Pelo que prefere.

Perdeu a graça...

Perdeu a graça
A traça roeu
Morreu sem formar laço
Do amaço o elo não veio
Ainda bem do receio que tive
Você ainda vive mais morreu

Os olhos explicam
Que venham os devaneios
Creio que um dia alguém ainda vem
E você de poema tem esse
Pois sempre foi dito se morrer como amor
Sem rancor como amigo vai nascer.